OUÇA – Comércio de Codó tenta sobreviver a meses de queda nas vendas

Quando o ano começa os lojistas de Codó são obrigados a por em prática todas as suas estratégias, é que até o mês de maio as vendas caem. Fevereiro, por ser menor em número de dias, vem uma dificuldades a mais como lembrou o  gerente Vanderlúcio Rabelo.

 “dando desconto à vista, desde o início do ano dando desconto, agora no final desse mês nós vamos fazer promoção pra ver se a gente consegue fechar o mês no azul, pra não virar no vermelho, o mês de fevereiro, que é um mês menor, são 28 dias só, e as contas não param de chegar, então a gente tem que fazer mesmo promoções, pra ver se atrai o cliente pra dentro da loja”, disse

SURPRESAS INDESEJADAS

Algumas surpresas também acabam impactando as previsões de lucro. Este ano quem é do setor de material escolar apostou na alta de início de ano. Dobrou  o estoque, se planejou, mas as aulas municipais foram  adiadas para 11 de março – resultado, os produtos ainda estão nas lojas.

 “E com essa mudança do início de aula do ano letivo, atrapalha sim porque  a gente tem compromisso tanto com os fornecedores, como com os funcionários que a gente faz essa contratação para auxiliar e atrapalha sim, atrasa com certeza”, destacou a chefe de seção Daniele Silva

 Alguns setores podem fazer uma nova aposta para tentar superar o difícil mês de fevereiro, mas essa oportunidade só pode vir para a loja de quem pode trabalhar, ainda em fevereiro, produtos do carnaval.

Isso porque já tem muito consumidor pensando na festa e  o setor de roupas já sente a tendência.

 “Comprar uma roupinha, uma bluzinha curta, um short pra sair pulando carnaval…TEM QUE TER MESMO ESSAS COISAS? Tem, tem que ter pra ficar bonita”, esta foi a opinião de Maria José dos Santos, dona de casa que estava no centro comercial já pesquisando preços

Além de roupas para o período Rogilson Silva, empresário,   também disponibilizou fantasias, está diversificando a oferta para espantar o fantasma do fevereiro no vermelho.

 “O mercado hoje ele tá muito competitivo e a gente faz isso pra atrair o cliente, carnaval tá se aproximando, os blocos também tão animando e a gente tem que entrar em clima de carnaval pra poder o cliente comprar na mão da gente…É UMA DAS FORMAS DE SUPERAR O DIFÍCIL MÊS DE FEVEREIRO? É, a gente tá trabalhando, enfeitando a loja pro cliente vir e poder comprar na nossa mão”

Nos meses seguintes a previsão não é das melhores e é o consumidor codoense quem a está garantindo.

 “Eu acredito lá pelo mês de maio, pelo mês de maio já é o mês das mães é quando as coisas voltam a melhorar…É QUANDO O CONSUMIDOR VOLTA NOVAMENTE? É quando o consumidor volta novamente a ir ao comércio fazer as compras”, garantiu o consumidor Moisés Xavier, autônomo.

2 comentários sobre “OUÇA – Comércio de Codó tenta sobreviver a meses de queda nas vendas”

  1. Depois que esse prefeito assumiu a prefeitura de Codó, as vendas no comércio despencaram brutalmente, desempregou muitas pessoas, a renda só gira em torno do clã dos Oliveiras, no meu caso em especifico, eu tenho uma micro empresa, meu negócio ia muito bem, mas depois que Francisco Nagib assumiu a gestão municipal, minhas vendas cairam 50%, já pensei em fechar ou vender meu negócio, mas penso nas pessoas que dependem desta pequena empresa, para onde iriam? Se ninguém está vendendo quase nada! Onde arranjariam outro emprego se ninguém está contratando? Então, vou me virando como posso, espero que na próxima eleição o povo de Codó tenha mais um pouco de discernimento, minha sorte é que não dependo totalmente do comércio, tenho outras fontes de renda, graças a Deus, se não estaria desesperado. Mas vou continuar com minha empresa, porque quatro pais de famílias dependem dela para viverem. Infelizmente meu conselho é esse: esperar por dias melhores, mas enquanto essa família estiverem no governo municipal, esqueçam! Só será bom para eles. Que Deus nos guarde de todo o mal.

Deixe uma resposta