PÁGINAS DE CODÓ (LVI)- JOSÉ MARIA MAGALHÃES DE ALMEIDA

Escritor Carlos Gomes
Escritor Carlos Gomes

Nasceu no interior codoense, em uma fazenda nas imediações do lugar denominado Kilômetro 17. Concluídos os seus primeiros estudos, ingressou na Escola Militar, atingindo o Oficialato da nossa Marinha de Guerra.

Imbuído de forte vocação à política, ocupou uma cadeira de Senador da República, e representou também o seu Estado na Câmara dos Deputados.

Concorrendo ao pleito eleitoral de 1925, foi eleito governador do Estado por larga maioria de votos, para o período de 1926 a 1930. Governou o Estado do Maranhão, demonstrando em momentos críticos do seu governo, espírito conciliador e de equilíbrio. Sabia manter boa palestra com seus adversários. Respeitava-os.

Na composição do seu Secretariado, teve habilidade de não convocar políticos para formar o seu governo, que no momento se encontravam no exercício de cargos partidários, a fim de evitar atritos.

Comandante Magalhães de Almeida cercou-se de técnicos. Para prefeito da cidade de São Luís, nomeou o renomado engenheiro Jaime Tavares de notável competência. Saneou as Finanças do Estado que estavam arrasadas, pôs a folha de pagamento do funcionalismo em dia, extinguiu cargos públicos inoperantes, verdadeiros cabides de empregos, procedendo, assim, foi possível realizar obras como a reforma do Palácio do Governo, ao lado do Paço Municipal, do Fórum, do Quartel da Polícia Militar, do Prédio do Tesouro do Estado e a construção da avenida Beira Mar, que contorna grande parte da cidade.

O governador José Maria Magalhães de Almeida como legalista, não apoiou a Revolução comandada pelo gaúcho Getúlio Vargas. Movimento rebelde, militar que pregava a deposição do Presidente Washington Luís, divergindo de outros governadores que assinaram um manifesto de apoio a Vargas. Cumpriu integralmente o seu mandato e teve o médico Genésio Ewaldo de Morais Rego como seu vice-governador.

Como preito de gratidão, o Estado do Maranhão o homenageou, dando o seu nome ao antigo povoado porto de Santo Antônio, hoje o florescente município Magalhães de Almeida, às margens do rio Parnaíba.

A Administração Municipal codoense homenageou-o, dando o seu nome a uma das ruas da cidade, como também, um colégio nesta cidade, fundado pelo professor mauro Bastos Pereira Rego, recebeu o seu nome em justa homenagem.

Codó (MA), 17 de fevereiro de 2014.                                                              Prof. Carlos Gomes.

Sócio Fundador da Associação Cultural Codoense “Antonio Almeida Oliveira” e do Instituto Histórico e Geográfico de Codó.

Texto colhido do livro Codoenses e não Codoenses a ser publicado.

Deixe uma resposta