PÁGINAS DE CODÓ (XXXVII) – JACINTO PEREIRA SOUSA

Escritor Carlos Gomes
Escritor Carlos Gomes

Nascido na capital piauiense, aos 17 dias de maio de 1938, filho de Manoel Pereira de Sousa e Luzia Martinha Sousa.

Filho de lavrador, viveu sua infância e juventude trabalhando na roça, morando com seus pais no lugar denominado Califórnia, município de Codó.

Não existiam escolas regulares, mas nos períodos de folga, frequentava escolinhas particulares, que lhe possibilitaram fazer o antigo Curso Minerva e o 2º grau como era denominado, no Colégio Magalhães de Almeida.

Em 1952, foi morar em Capinzal, então povoado, hoje município de Capinzal do Norte, onde em 1957, exerceu sua primeira função pública, ocupando o cargo de Inspetor de Quarteirão, nomeado pelo então Delegado de polícia de Codó, Francisco Solano Lopes “Chico Altura”, função exercida por poucos meses, já que fora designado para o cargo de “Agente Arrecadador” de tributos estaduais, na Agência de Capinzal.

Em 1960, participou da campanha eleitoral, apoiando a candidatura de Moisés Reis para prefeito. No ano seguinte, foi nomeado para o cargo de Agente Fiscal do Município e Administrador do povoado Capinzal. Concorreu em 1966 às eleições e se elegeu vereador pelo PMDB. Nomeado em 1970 para o cargo de Subprefeito de Capinzal, tendo exercido esta função por pouco tempo, pois, no mesmo ano, concorreu pela 2ª vez à Câmara Municipal.

Reeleito vereador em 1982, para legislatura – 1983-1989, juntamente com os seguintes vereadores: Juarez Alves Lisbino, Francisco das Chagas Paz, Ulisses Pereira Terto, Sebastião Celso Santos Filho, Antônio Leomagon Alencar, Antônio Sebastião N. Figueiredo, Domingos Martins Araújo, Francisco Pontes de Sousa, José Ferreira Gomes, Raimundo Mendes de Sousa, Nagib Buzar Filho, Talmir Quinzeiro, Wanderley Alves de Oliveira e Manoel da Graça Oliveira Sousa.

Em três legislaturas, 16 anos de mandato parlamentar, mantendo-se sempre na oposição. Participou da Mesa-Diretora como 1º e 2º Secretário, Presidente das Comissões de Finanças, Justiça, Cultura, Obras e Serviços Públicos. Autor de vários projetos, requerimentos e indicações de interesse da comunidade, destacando-se: requerimento ao Ministério da Educação, solicitando a implantação da Escola Agrotécnica Federal de Codó; projeto de lei nº 18/78, que dispõe sobre a oficialização do dia da Bíblia, o 2º domingo de dezembro; projeto de lei nº 21/78, considera de Utilidade Pública a Igreja Presbiteriana de Codó e projeto de lei nº 24/79, que institui o dia municipal do Rotary, o dia 23 de fevereiro.

Jacinto como é conhecido, é um homem trabalhador, conhecedor bastante da história-política codoense, e tem servido com dignidade a terra que o acolheu.

Cidadão Codoense, Lei Municipal nº 1.546, de 22/06/2004.

Codó – MA,  30 de setembro de 2013                                                             Prof. Carlos Gomes.

 Transcrito do Livro Codoenses & Não Codoenses, aguardando publicação.

­­

Sócio Fundador da Associação Cultural Codoense “Antônio Almeida Oliveira”.

Um comentário sobre “PÁGINAS DE CODÓ (XXXVII) – JACINTO PEREIRA SOUSA”

  1. Jacinto Pereira é um exemplo de liderança política raro. Em sua trajetória, não se encontra mácula, não se acha uma acusação de enriquecimento ilícito, homem que pautou sua vida toda na ética e na honradez. Sua militância política foi marcada pela simplicidade, coerência e credibilidade. Em 1989, já descrente da política minúscula, decidiu abandonar sua carreira em nome da decência e da honestidade. Sua conduta ilibada sempre foi motivo de orgulho para mim e todos aqueles que o cerca e o conhece! Parabéns, profº Carlos Gomes por lembrar-se desse notável homem público que contribuiu e muito para o desenvolvimento econômico, social e cultural!

Deixe um comentário