Pedro Santos critica postura do executivo municipal em relação à ausência de concurso público e das escolas em processo de nucleação

Na noite de terça-feira (16), durante a plenária da sessão da Câmara, o vereador Pedro Santos, externou mais uma vez insatisfação pela falta de concurso público para provimento de vagas na administração pública. O que está diretamente ligado à forma como o prefeito Francisco Nagib vem conduzindo sua administração.

Segundo o vereador, Nagib age como se estivesse no Brasil Império. “É como se ele fosse um verdadeiro imperador, empregando as pessoas por indicação, como se todos os cargos disponíveis fossem de confiança, admitindo e exonerando funcionários quando lhe convém, afirmou Pedro.

O Vereador embasou sua crítica de acordo com o Art. 37 da Constituição, que exige para a investidura em cargo ou emprego público, da “aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos”. O concurso público é fator denotador da exigência da moralidade, da impessoalidade e da eficiência. Além disso, possibilita a igualdade entre os participantes e garante que os aprovados sejam pessoas capazes e competentes.

Com isso lembra o vereador, “tem muito profissional desempregado, qualificado e fora do mercado aqui em Codó, e que poderia ter uma chance em ser contratado através do concurso. Mas a administração municipal  prefere desembolsar mensalmente cifras milionárias  com a terceirização de vigilantes e zeladores, mesmo descontando o INSS e, em alguns casos, pessoas que nunca assinaram contrato”.

No entanto – infelizmente – isto é difícil de ser evidenciado já que as contas da prefeitura referente ao ano de 2017 nunca foram encaminhadas a câmara municipal para os vereadores e a população terem acesso.

Outro ponto do discurso de Pedro Santos foi sobre o processo de nucleação das escolas municipais. O vereador não questiona a eficiência da medida adotada, mas a maneira irresponsável e desorganizada como o processo vem se dando. Isso porque, na avaliação do Edil, “Pelo menos vários prédios públicos, onde antes funcionavam escolas, foram abandonados e estão deteriorando por falta de conservação e sem destinação alguma após a nucleação”.

Para o Vereador, o Ministério Público deveria ingressar com ação civil pública contra o município requerendo providências  imediatas para assegurar a conservação desses prédios. “Sugiro uma adoção de medidas para evitar atos de vandalismo nesses locais e estabelecer ao município um prazo para elaboração de projetos de reforma, recuperação, aproveitamento ou adoção de outra medida. Até porque já passou do momento de partir para ação, o que está aqui em jogo é o planejamento e concretização de ações em benefício da população codoense”, finalizou Pedro Santos.

Assessoria de Imprensa do Vereador Pedro Santos

3 comentários sobre “Pedro Santos critica postura do executivo municipal em relação à ausência de concurso público e das escolas em processo de nucleação”

  1. Se as contas do seu bina de 2006 a 2008, chegaram em 2017, e vc votou a favor da ilegalidade(a favor dos ). Já que as do FN de 2017/?????, vai sonhando. E as do Zito???

  2. Parabéns Pedro Santos,o Nagib jamais fará concurso público pois ele gosta de babão que geralmente são pessoas incompetentes e sem qualificação . Vc tem meu voto em 2020

Deixe uma resposta