PERIGO – Site Maranhão Repórter flagra e denuncia condições precárias de trabalho dos garis de Codó

Por Walney Moraes, site Maranhão Repórter

FLAGRANTE: Observando atentamente a equipe que trabalha na limpeza pública da cidade de Codó, percebe-se um grave problema: “a equipe de limpeza trabalha sem nenhum EPI, ou seja, sem nenhum equipamento de proteção individual”. Isso é um absurdo, o Ministério do Trabalho tem que tomar conhecimento desse fato insalubre imediatamente, pois como o próprio nome diz insalubre é algo não salubre, doentio, que pode causar doenças ao trabalhador por conta de sua atividade laboral.

Flagrante do Maranhão Repórter
Flagrante do Maranhão Repórter

Fica a pergunta: Será que a atual administração está preocupada com a saúde dos trabalhadores?

CUIDANDO DA NOSSA GENTE ?

Se a prefeitura ou empresa responsável não tem preocupação com esses profissionais, leia esse lembrete sobre o que é a profissão de gari e quem sabe a prefeitura não tome outra atitude.

O QUE É SER UM GARI?

O gari é o profissional responsável pela limpeza das ruas, praças, parques e vias públicas. O gari trabalha com uma vassoura especial, cuidando da higiene e recolhendo os detritos que as cidades produzem diariamente e não tratam. Esse profissional é muito importante dentro da sociedade, pois é o gari quem faz com que o lixo não se acumule nas ruas e nos bueiros, causando enchentes e permitindo a proliferação de bichos e doenças.

Segundo a Pesquisa Nacional de Saneamento Básico do ano de 2000, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no Brasil são produzidas 228.413 toneladas de lixo por dia, e dos 5.507 municípios brasileiros, 5.475 possuem serviço de limpeza urbana, mas apenas 451 têm a coleta seletiva e 352 tem sistema de reciclagem.

Garis em condições perigosas
Garis em condições perigosas

Nas fotos observa-se que os garis manuseiam o lixo sem luvas, neste outro flagrante um homem segue o roteiro sentado entre a cabine e o basculante se arriscando e cometendo irregularidades no transito. Ainda nota-se que o gari não possui equipamento de proteção contra o mau cheiro, não usa luvas, botas e nem roupas adequadas para o exercício da profissão.

CONSEQUÊNCIAS GRAVES

A qualquer momento os garis poderão contrair doenças – leptospirose, febre tifoide, a cólera, diversas diarreias, disenteria, tracoma e peste bubônica.

Debaixo de Risco
Debaixo de Risco

Quase 20 garis trabalham na limpeza das principais vias públicas de Codó nos horários de manhã, tarde e noite, porém a falta de equipamentos apropriados para a realização do serviço pode ser visto e constatado diariamente por qualquer cidadão.

Outro fato que deve ser observado e corrigido pela administração municipal é o atraso de 24hs em algumas ruas da cidade, o roteiro é interrompido e as sacolas ou recipientes que são colocados nas portas pelos moradores desavisados da ausência do carro do lixo são rasgados e espalhados nas ruas por animais durante a noite causando transtornos e poluindo ainda mais a cidade.

11 comentários sobre “PERIGO – Site Maranhão Repórter flagra e denuncia condições precárias de trabalho dos garis de Codó”

  1. Para os governantes que não conhecem legislação trabalhista e Normas Regulamentadoras:

    PORTARIA MTB Nº 3.214, DE 08 DE JUNHO DE 1978
    Aprova as Normas Regulamentadoras – NR – do Capítulo V, Título II, da Consolidação das Leis do Trabalho, relativas a Segurança e Medicina do Trabalho.

    NR 1 – 1.1 As Normas Regulamentadoras – NR, relativas à segurança e medicina do trabalho, são de observância obrigatória pelas empresas privadas e públicas e pelos órgãos públicos da administração direta e indireta, bem como pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

    1.1.1 – As disposições contidas nas Normas Regulamentadoras – NR aplicam-se, no que couber, aos trabalhadores avulsos, às entidades ou empresas que lhes tomem o serviço e aos sindicatos representativos das respectivas categorias profissionais. (Alteração dada pela Portaria n.º 06, de 09/03/83)

    1.2 – A observância das Normas Regulamentadoras – NR nãodesobriga as empresas do cumprimento de outras disposições que, com relação à matéria, sejam incluídas em códigos de obras ou regulamentos sanitários dos Estados ou Municípios, e outras, oriundas de convenções e acordos coletivos de trabalho.

    NR 6 – Equipamento de Proteção Individual – EPI

    6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora – NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual -EPI, todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis
    de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

    6.3 A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuita mente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes circunstâncias:
    a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos
    de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho;
    b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e,
    c)para atender a situações de emergência

    NR 15 – ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES
    ANEXO N.º 14
    (Aprovado pela Portaria SSST n.º 12, de 12 de novembro de 1979)
    AGENTES BIOLÓGICOS
    Relação das atividades que envolvem agentes biológicos, cuja insalubridade é caracterizada pela avaliação qualitativa.

    Insalubridade de grau máximo

    Trabalho ou operações, em contato permanente com:
    – pacientes em isolamento por doenças infecto-contagiosas, bem como objetos de seu uso, não previamente esterilizados;
    – carnes, glândulas, vísceras, sangue, ossos, couros, pêlos e dejeções de animais portadores de doenças infecto-contagiosas (carbunculose, brucelose, tuberculose);
    – esgotos (galerias e tanques); e
    – lixo urbano (coleta e industrialização).

    Lembrando que na campanha política em que o prefeito Zito foi eleito, ele mostrou uma imagem dessa em de suas propagandas, e falou que iria acabar com essa situação humilhante que acontecia com os trabalhadores de Codó!!!!!! No meu ponto de vista, não mudou nada, acho que só piorou…

    Mario Marcio Jr
    Técnico em Segurança do Trabalho

  2. PERGUNTO; EM QUE ANO E EM QUE ADMINISTRAÇÃO OS TRABALHADORES DA LIMPEZA PÚBLICA TIVERAM EPI’S? É CLARO QUE SOU A FAVOR QUE OS MESMOS TENHAM, POIS OS EQUIPAMENTOS SERVEM PARA QUE OS TRABALHADORES NÃO SEJAM CONTAMINADOS POR MICRO-ORGANISMOS OU, DANOS FISICOS. AGORA, FAZER SENSACIONALISMO, ISSO É INACEITÁVEL.

  3. EU VEJO TODOS OS DIAS PESSOAS QUE PEGAM OS LIXOS DE CASAS TRABALHANDO EM CONDIÇÕES SUB-HUMANAS, SEM NENHUM EQUIPAMENTO DE SEGURANÇA MANIPULANDO TODO O TIPO DE LIXO COM AS PRÓPRIAS MÃOS ISSO É UMA FALTA DE RESPEITO TOTAL DO GOVERNO ”CUIDANDO DE NOSSA GENTE” ACHO QUE DEMOROU SER FEITO UMA MATÉRIA PARA MOSTRAR A REALIDADE DESSES POBRES TRABALHADORES. VAMOS VER SE VAI MUDAR ALGUMA COISA AGORA.

  4. estive ae em Codó no inicio do ano e vi isso, homens trabalhando dessa forma sem segurança sem proteçao em cima de um caminhao,será que a prefeitura nao tem dinheiro pra adquirir carros apropriados pra essa tarefa , me lembro que quando o senhor falecido ex-prefeito Antonio Joaquim a prejeitura adquiriu um ou dois caminhoes de coleta de lixo olha que isso foi nos anos 80 ,vamos espera que o atual e as autoridade fiscalizadora como a camara de codo exiga da administraçao soluçao pra isso tudo .

  5. É verdadeiro que os Garis, estão sem equipamentos, mas é verdadeiro também que os equipamentos recebidos tais como: botas e mascaras não são usados e pessoas fazem sensacionalismo, isto é mau jornalismo: devemos fazer jornalismo com ética, ou seja antes divulgar saber os pros e os contra. Que Pena! As pessoas acabam perdendo a credibilidade.

  6. JUJU, SENSACIONALISMO É O CONTRATO ASSINADO COM UMA EMPRESA, DENOMINADA
    “”……””, NO VALOR DE QUASE CINCO MILHÕES DE REAIS PARA PRESTAR SERVIÇOS
    NA LIMPEZA URBANA. SENSACIONALISMO É A MESMA EMPRESA USAR CAMINHÕES VELHOS,
    ADAPTADOS COM CARROCERIAS DE MADEIRA PARA TAL SERVIÇO.

    SENSACIONALISMO É A MESMA EMPRESA PAGAR OS TRABALHADORES SEM ADICIONAL POR INSALUBRIDADE E
    AINDA DESCONTAR “”INSS”” . ISTO SIM, É SENSACIONAL.
    E TEM MAIS, NENHUM VEÍCULO ESTÁ COM O IPVA PAGO. NENHUM VEÍCULO DISPÕE DE
    EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA, TAIS COMO EXTINTORES, CINTOS ETC. E O RONALDO
    TRINDADE, APARECEU DE NOVO?? ………………………

  7. Oh Murilo! Apareceu rapaz! Nao deu nem uma palavrinha sobre o teu chefe Benedito Figueiredo que vem levando sucesssivos tapas da justiça! kkkkkkkkk
    Nessa horas fica caladiiinhooo…

  8. José murilo salem… vc já observou que tudo que se comentam aqui e que atinge o seu patrão biné figueiredo. vc fica nervoso? pois eu moro aqui em codó ha 35 anos, e nunca vi nemhum administrador, muito menos no governo biné esse serviço de coletagem de lixo ser feito da maneira que o senhor e todos os codoenses gostariam de serem executados… ou mesmo da maneira que o senhor tá insinuando. infelizmente tenho de dizer que vc é só mais um dos muitos binezista que tentam distorcer a realidade dos fatos do municipio… como falei antes, eu também gostaria que todo serviço público, seja ele federal, estadual ou municipal fosse prestado com qualidade. portanto. não venha você querer tapar o sol com a peneira, que aqui em codó voces binezista, não enganam mais…

  9. Juju, concordo com você, até hoje ainda não vi um gestor público obrigar e fazer cumprir o uso de EPI, agora tem pessoas que se incomoda com qualquer reportagem feita do atual governo, porque será hem, eu também gostaria de saber se eles explicam que na época do governo anterior, tinha um certo secretario, irmão do ex- prefeito que cobrava uma quantia que dizendo ele, que era pra uma tal de confraternização de fim de ano, coitado dos garis, vigias e zeladoras que até hoje esperam por esta bendita festa.

  10. SE fosse uma empresa privada já já aparecia o intocável e atuando Promotor do Trabalho, mas como é coisa pública, a promotoria do trabalho não age.

    ISSO É A CARA DO BRASIL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe um comentário