Polícia ainda não tem pistas no caso do idoso queimado no 17

Casa queimada no 17

Da casa, no povoado 17, só restaram as paredes. O incêndio surpreendeu a vizinhança do aposentado, Acelino da Conceição Viana, por volta das 11h da noite, mas ninguém diz ter visto qualquer movimento suspeito anterior. Quando seu Raimundo Pinto Cruz, um amigo, chegou para tentar controlar as chamas, duas mulheres desconfiaram que poderia haver alguém dentro da casa.

Ele contou que derrubou a porta e deparou-se com o corpo.

“Esse homem não ta aí dentro comadre porque esse homem tinha que gritar, aí a mulher disse esse homem está aí então vamos tentar já, já. Tocamos o pau (na porta) e a mulher, Ô meu deus olha o fato do homem de fora compadre, aí ficaram tudo chorando”, disse ao blog

CARBONIZADO

O corpo encontrado carbonizado, segundo a família, era mesmo de Acelino da Conceição Viana, de 73 anos. O aposentado vivia sozinho e pelas evidências encontradas pela polícia pode ter sido morto a facadas antes de ser queimado.

É também a suspeita da vizinhança. Para o lavrador Francisco Alves das Chagas o incêndio foi uma tentativa de tentar encobrir o latrocínio, roubo seguido de morte.

“pelo visto o disfarce foi tocar fogo na casa…E TERIA SIDO PRA ROUBAR? Não, isso aí ninguém suspeita de nada com ele”, disse

CASARIA HOJE

Os familiares não sabem se algum dinheiro foi levado, mas falam num empréstimo que o idoso teria feito na intenção de se casar nesta quinta-feira. A filha mais velha, Maria da Conceição de Jesus, pediu à polícia que elucide o caso e ponha o culpado, se houver, na cadeia.

“Ela (polícia) acha que ele foi matado primeiro e depois tocado fogo…descubra como foi e que faça Justiça, eu quero que tenha Justiça”, apelou

A delegada que preside o inquérito é Maria Tecla Cunha que nos informou que ainda não possui pistas de quem possa ter matado e depois ateado fogo na casa do aposentado.

Deixe um comentário