Polícia Militar do Maranhão poderá ter comando nos moldes do Bope

Por Saulo Maclean
Da editoria de Polícia/Jornal O ESTADO DO MARANHÃO

Comandante-Geral Zanoni
Coronel Ivaldo

O comandante-geral da Polícia Militar do Maranhão, coronel Aldimar Zanoni Porto, anunciou ontem que vai propor ao Governo do Estado a transformação do Comando de Policiamento Especial (CPE) em uma espécie de Batalhão de Operações Especiais (Bope) para enfrentamento das facções criminosas em todo o estado.

À frente do “Bope do Maranhão” está agora o coronel Ivaldo Barbosa, que há poucas semanas deixou o comando da 11ª Companhia Independente da PM, na cidade de Presidente Dutra, para assumir a coordenação dos grupos de elite da corporação, em São Luís.

“Nos próximos dias, vamos apresentar a ideia à governadora Roseana Sarney, pois acreditamos ser esta uma forma de combater e reprimir as ações criminosas, principalmente as mais audaciosas, registradas nos últimos dias, não apenas contra a população, mas contra a própria PM e demais unidades que compõem o patrimônio da Secretaria de Segurança Pública (SSP). O CPE já existe desde o ano passado, é verdade. Porém, estava inoperante. Nossa intenção agora é mostrá-lo nas ruas, colocando à frente nossos mais ostensivos grupos de elite”, informou o comandante-geral da PM.

Ainda de acordo com o coronel Zanoni Porto, o chamado “Bope do Maranhão” deve trabalhar principalmente com a atuação da tropa do Batalhão de Choque (BPChoque) da PM, com apoio do seu Esquadrão Águia (EA) e também com o efetivo do Esquadrão de Polícia Montada (Epmont). “Nossa proposta ao Governo do Estado é colocar esses grupos de elite à frente das operações, claro, sempre trabalhando antecipadamente em conjunto com nosso Serviço de Inteligência nos levantamentos das ocorrências e identificação dos líderes dessas facções criminosas”, acrescentou Zanoni Porto.

Desde que assumiu o Comando Geral da PMMA, no dia 11 deste mês, esta é a segunda grande ação do coronel Zanoni Porto no combate aos traficantes de drogas e homicidas, já identificados como líderes das organizações criminosas intituladas “Bonde dos 40” e “Primeiro Comando do Maranhão (CPM)”. No dia 21, a PM invadiu as comunidades da Ilhinha (área do bairro São Francisco) e Vila Conceição (área do bairro Calhau) e fez uma espécie de “pente-fino” nas principais “bocas de fumo”. Foram 10 pessoas presas e um fuzil calibre 762 (MosqueFAL) apreendido com os traficantes.

O reforço no policiamento ostensivo em toda a região metropolitana da capital pela chamada “Operação Impacto”, coordenada pelo Comando do Policiamento Metropolitano (CPM), segundo o comandante-geral da PM, tem refletido não apenas nos resultados positivos da polícia, mas também na própria reação dos criminosos. Na madrugada de terça-feira (26), seis bandidos armados de pistolas calibre 380, em três motocicletas, atiraram contra o prédio da 3ª Companhia do 13º Batalhão da PM, no município de Raposa. A fachada da unidade da PM foi atingida com três disparos.

“A Polícia Militar do Maranhão não vai, de maneira nenhuma, se deixar intimidar por ações audaciosas como essa. Ao contrário, vamos intensificar ainda mais as operações que temos coordenado e colocar atrás das grades esses criminosos que tentam instalar o pânico na população”, garantiu o comandante-geral da PM, sem deixar de lembrar dos ataques criminosos contra os trailers da corporação, na noite do dia 9, quando ainda não estava à frente da tropa. “A forma de comandar mudou e não vamos aceitar esse tipo de afronta”, completou o coronel Zanoni Porto.

Sobre o Bope

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) é uma força de intervenção da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ), responsável por atuar em situações críticas, sendo a reserva tática de pronto emprego da corporação. Seu efetivo é voluntário, formado por policiais de elevado preparo técnico, tático e psicológico.

Hoje, o Bope, comandado pelo tenente-coronel Wilman René Alonso, é conhecido em todo o Brasil e também fora dele. No entanto, trata-se de um batalhão com mais de três décadas de existência, com trajetória ampla e diversificada na busca constante da excelência operacional.

No cinema, o símbolo do Bope se popularizou ao trazer uma faca cravada em uma caveira. No Maranhão, o Comando de Policiamento Especial (CPE) da PM também adotou uma caveira estilizada, com boina e fuzis cruzados. Assim como nas unidades em outros estados, o “Bope do Maranhão” também deve usar fardamento preto.

Mais

O Comando de Policiamento Especial (CPE) foi criado em 2012, durante a gestão do coronel Franklin Pacheco, então comandante-geral da

PMMA. Com a mudança no comando da tropa militar maranhense, o CPE também muda de direção, deixando o cargo o coronel Boaventura Furtado Neto. Apesar de já atuar à frente do chamado “Bope do Maranhão”, o coronel Ivaldo Barbosa ainda não teve sua posse de fato publicada no Diário Oficial do Governo do Estado do Maranhão.

2 comentários sobre “Polícia Militar do Maranhão poderá ter comando nos moldes do Bope”

Deixe um comentário