Presidente critica a falta de vontade dos vereadores em discutir problemas de Codó

O texto abaixo foi divulgado pelo presidente do SINDSERT, professor Marcos Antonio da Silva, via whatsApp, logo após a sessão ordinária relâmpago de ontem, 16, na Câmara de Codó.

Professor Marcos Antonio da Silva

Critica a falta de vontade  dos vereadores de discutirem problemas do município:


Em sessão ordinária realizada hoje 16/10 que durou um pouco mais de meia hora, algo que já vem se tornando rotina naquela casa, vários edis  se omitem em discutir, elaborar projetos, criar leis e requerimentos, fazer indicações, cobrar e fiscalizar a administração num dos maiores municípios marenhenses com cerca de 130 mil habitantes cheio de problemas nas diversas áreas como: saúde, educação, segurança e infra-estrutura principalmente após uma chuva em pleno verão que terminou prejudicando moradores que residem em áreas historicamente problemáticas no período invernoso e olha que ainda falta algum tempo para o inverno!

 É mas parece que nossos representantes não estão muito preocupados com estas situações pois até mesmo o uso da tribuna vem sendo dispensado pela grande maioria dos nossos 17 vereadores que compõem o Legislativo codoense.

        Prof. Marcos.

14 comentários sobre “Presidente critica a falta de vontade dos vereadores em discutir problemas de Codó”

  1. Aprovado em dois concursos públicos, graduado e pós-graduado em matemática, sou doido sim mas por direitos, respeito e dignidade pra mim e pra todos inclusive pra você amigo codoense!

  2. Originário do grego antigo, o vocábulo vereador vem da palavra “verea”, que significa vereda, caminho. O vereador, portanto, seria o que vereia, trilha, ou orienta os caminhos. Existe no idioma brasileiro o verbo verear, que é o ato de exercer o cargo e as funções de vereador. Resumindo, o vereador é a ligação entre o governo e o povo.

  3. Os vereadores fazem parte do Poder Legislativo, e discutem e votam matérias que envolvem impostos municipais, educação municipal, linhas de ônibus e saneamento, entre outros temas da cidade. Cada vereador é eleito de forma direta, pelo voto, tornando-se um representante da população. Por isso, deve propor projetos que estejam de acordo com os interesses e o bem-estar do povo.

  4. A cada 3 vereadores eleitos neste ano, 1 não tem o ensino médio completo, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os números mostram ainda que 26,1% dos candidatos têm superior completo – percentual maior que o da eleição passada, em 2012, quando 23,7% tinham completado um curso universitário. Outros 4% iniciaram uma faculdade, mas ainda não a concluíram.

  5. O vereador tem oportunidade de ouvir sugestões, reclamações e pedidos vindos das pessoas as mais variadas, desde as menos atuantes e informadas até as que sabem das coisas que não andam bem. Ele, inclusive, é, por direito, usuário dos serviços públicos que são oferecidos aos seus conterrâneos e pode avaliar se são de boa qualidade ou não. Por estar tão próximo à sua comunidade, ele fica conhecendo as demandas sociais. Consciente de que é capaz de influenciar em decisões que beneficiem a todos, o vereador deve buscar meios para ajudar sua cidade.

  6. O vereador é “por excelência, o representante do povo no município”, logo, é um dos brasileiros mais importantes para a vida do país. É o parlamentar que subiu o primeiro degrau de uma vida pública que exige muita experiência. Será muito interessante conhecermos melhor o seu trabalho.
    EM QUWE PAIS? KKKKK

  7. como professor, e respeitando os direitos da minha categoria, espero a hora que estes nossos ditos representantes irão esperar nossa colaboração nas urnas daqui a um tempo, e diga-se que nem longe esta..hoje estamos precisamos que esses caras pelo menos gritem por nos..esperam pelas eleições…

Deixe uma resposta