VIOLÊNCIA: PM fechou 2020 com exatamente 112 ocorrências de pedido de socorro de mulheres agredidas em Codó

2020 foi um ano de muitos casos de agressão à mulher em Codó, conforme registros da Polícia Militar que é a primeira a chegar quando a vítima ainda consegue pedir socorro.

O número de ocorrências foi  maior que no ano anterior segundo comandante do 17º Batralhão, tenente-coronel J. Alves.

  “Com relação especificamente à Maria da Penha nós tivemos um aumento de 2,75% com relação a  2019 totalizando 112 atendimentos ocorrências no tocante à natureza de Maria da Penha”, disse

 O pedido de socorro em Codó ocorre de duas maneiras, principalmente – com a presença da agredida diretamente no prédio do quartel, neste caso ela já volta pra rua onde o caso ocorre na companhia dos policiais, ou pelo DISK DENÚNCIA, um número de conhecimento geral que a PM disponibiliza para estes casos.

J. Alves explicou que está havendo uma mudança no comportamento das denunciantes, pelo menos foi assim ano passado.

Antes quando a polícia chegava, grande parte desistia da denúncia e chegava até a pedir para que o agressor não fosse preso. Agora não é bem assim.

  “Nós, na maioria das vezes, existe um comportamento de que ela prossiga  a denúncia que ela faz no primeiro momento, logicamente que existem alguns casos esporádicos de que não existe a condução para a delegacia, mas a maioria das mulheres prossegue, tanto que isso reflete nos números da Marias da PENHA com relação a 2019”, disse

Um comentário sobre “VIOLÊNCIA: PM fechou 2020 com exatamente 112 ocorrências de pedido de socorro de mulheres agredidas em Codó”

  1. É fato, quando o Flamengo ou Vasco perdem as agressões em mulheres em codó se agravam!!
    Hoje esposas de flamenguistas vão entrar na taça…e as mulheres de vascaínos terão uma bela noite de sonhos e amor… pronto.

Deixe uma resposta