Zona rural de Codó sofre com falta de água potável e Saae diz que não pode ajudar

De acordo com denúncia que veio do vereador Antonio Zaidan, vários povoados com poços artesianos abertos estão sem água potável.

Citando exemplos, tratou do caso da comunidade Saco onde os lavradores estão fazendo cacimbas na beira do rio para beber por falta de uma bomba que faça a água chegar às residências.

“No Saco é diferente, é a bomba que serve para bombear a água e fornecer para as residências lá do povoado Saco. É no Saco, é na Bacabinha, são diversas localidades tem este problema, temos que encontrar uma solução, governo, Câmara e Saae”, disse Zaidan

ENERGIA NA BACABINHA

Outro caso lembrado pelo parlamentar foi o de Bacabinha. Nesta, a energia elétrica que possibilita o bombeamento da água do poço está cortada. No governo de Biné Figueiredo, segundo o vereador, a conta de energia era paga pela Prefeitura.

No governo de Rolim isso não acontece e os moradores se recusam a colaborar entre si, fazendo a famosa vaquinha, para pagar a conta.

“A região da Bacabinha está sofrendo bastante com a falta de água, porque a Prefeitura no governo passado pagava o talão da conta de energia, infelizmente a comunidade lá não está contribuindo com R$ 5,00, é a taxa para cada família da Bacabinha mas eles se negam a contribuir e, infelizmente, a Bacabinha sofre um caos por falta de água porque a energia está cortada dos poços. Água tem bastante agora falta quitar com a Cemar”, criticou

SAAE NADA PODE FAZER

No mesmo dia o vereador Chiquinho do Saae respondeu ao colega e afirmou que o Serviço Autônomo de Água e Esgoto não tem como resolver tais problemas. Um dos motivos seria a falta de arrecadação financeira nestas localidades.

Chiquinho disse que a autarquia passa por problemas de finanças e, já atendendo, precariamente, na cidade, nada pode fazer pelos povoados em questão. A não ser que a própria Câmara, conjuntamente com o governo, encontre uma solução legal e viável.

“Se a gente encontrar uma forma legal aqui pelo parlamento o Saae tá aberto, mas o Saae não tem condições hoje, está atendendo precariamente a zona urbana”, concluiu

3 comentários sobre “Zona rural de Codó sofre com falta de água potável e Saae diz que não pode ajudar”

  1. Bem lembrado Zulu! Chamem o gente NOGENTA prá solucionar isso. Gostaria de saber da direção do Saae quanto esse orgão arrecada , quanto gasta e onde gasta.

Deixe um comentário