Superintende de Polícia Civil do Interior fala sobre situação da delegacia destruída de Coroatá

Delegado Jair e ao fundo Reno Cavalcante (de preto)
Delegado Jair e ao fundo Reno Cavalcante (de preto)

A delegacia de Coroatá está destruída  desde a noite de 22 de fevereiro quando os presos atearam fogo nas motocicletas  que estavam no pátio interior e acabaram destruindo todo o prédio. Na ocasião, 35 detentos  tiverem fuga evitada, 8 , que já foram recapturados, fugiram por um  buraco aberto na parede.

Desde então o delegado Reno Cavalcante e sua equipe trabalham numa delegacia improvisada enviando presos para Codó.

 “Estamos funcionando de forma provisória no prédio onde todos os serviços acontecem de forma normal, somente a carceragem que é de forma provisória, a gente realiza o procedimento ou cumprimento de mandado de prisão ou atuação do indivíduo em flagrante delito, feitos todos os procedimentos policiais num prazo de 24 horas a gente encaminha esse indivíduo pra cá pro CDP de Codó”, disse o delegado

A situação é incômoda e isso fica mais evidente quando os presos precisam participar de audiências marcadas pela Justiça.

 “O que dificulta é as audiência que a gente tem que se deslocar pra buscar o preso que a gente tem que se deslocar ou aqui no CDP de Codó ou de Caxias que as vezes os presos vão para Caxias, então apenas alguns transtornos de estar se deslocando viaturas da Polícia Civil para buscar viaturas nos CDP”, alertou

O QUE FARÃO

Desde fevereiro a população de Coroatá ouve a promessa de reforma da delegacia destruída pelo fogo. Aproveitando a visita de autoridades estaduais à Codó, na semana passada, o blog  quis saber sobre o andamento dessa reforma – o que, efetivamente, já teria sido feito e quando  a cidade terá uma nova delegacia de polícia civil.

Conversamos com o Superintendente de Polícia Civil do Interior, delegado Jair Paiva.  Ele afirmou que há a intenção de se construir uma delegacia só para o trabalho administrativo e entregar a reformada para a Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária, como foi feito em Codó recentemente.

 “Há também um entendimento entre os secretários de segurança e  da SEJAP, que estão entrando em conversação, para que o prédio atual seja reformada e entregue à SEJAP para que seja construído um novo prédio da delegacia nos moldes aqui de Codó”, afirmou

Sobre quando Coroatá receberá tais obras, disse.

 “é intenção do secretário, da delegada-geral, nossa intenção que se resolva o mais rápido possível. Coroatá é uma cidade que merece a gente já ter definido isso, com certeza nos próximos meses nós teremos uma definição completa disso aí”, concluiu

Deixe um comentário